CLIQUE ARQUITETURA • www.cliquearquitetura.com.br

"Hygge" como estilo de vida

Você se sente feliz? O Hygge é um estilo de vida que pode ser aplicado facilmente por todos.

0 Adicionar à minha biblioteca

Por Arquiteta Nadine Voitille Seguir

  • 27/03/2018

+ Salvar em álbum de ideias

Cansada de tanta correria e de preocupações (geralmente desnecessárias), passei a investigar como reduzir a ansiedade e viver de maneira mais feliz.

Passei a me concentrar em “pequenos momentos” e a me esforçar para criar certos rituais que pareciam me deixar mais tranquila: fazer um café bem gostoso e convidar meu marido ou minha mãe para degustá-lo devagar, acender uma vela aromática no escritório (enquanto trabalho no sábado), arrumar a floreira do jardim para depois poder observá-la, cozinhar algo gostoso para a família,...

 

 

Tem sido um processo lento, admito, mas foi agora que descobri que existe um nome para isso e que o povo considerado mais feliz do mundo (os dinamarqueses) já aplicam: Hygge!

 

O que é Hygge

Hygge é um termo que define o estilo de vida dos dinamarqueses (ou mesmo sua filosofia de vida). Não possui uma tradução para o Português (como não tem para outras línguas, apesar de algumas culturas terem algo próximo) e seria algo como: viver com aconchego, valorizando momentos em família, com amigos ou mesmo sozinho. Está relacionado a conforto, a cuidar de você, a promover o bem-estar e geralmente relacionado a algo caseiro.

Hygge é algo que se sente e para exemplificar, digo o que seria para mim: acordar antes do sol nascer, caminhar algumas quadras sentindo a brisa fresca da manhã, assim como o cheiro da mata e da terra molhadas pelo sereno da noite. Chegar à praia, sentir a areia gelada e levemente úmida nos pés e então continuar a caminhada... O mar está calmo e ainda é possível ver algumas estrelas no céu. Depois de alguns minutos, chegar a algumas pedras, me sentar e assistir ao nascer do sol, saindo diretamente da água na linha do horizonte. Ver as ondas baterem nas pedras e criarem aquela espuma branquinha, serenando um pouco o meu rosto. Ficar até começar a sentir calor e então retornar para casa, agora já sentindo os raios solares darem uma leve queimada na pele do braço e das pernas. Em casa, tudo parece um pouco escuro e silencioso. Vou para a cozinha, faço um café bem aromático e então preparo o lanche sobre a mesa, chamando quem amo para tomar um delicioso desjejum comigo :)

E sim, esta é uma das lembranças mais gostosas que tenho de quando passava as férias em Mariscal, SC, com meus pais e caminhava na praia com meu pai.

 

 

Os dinamarqueses desenvolveram naturalmente este estilo ao longo de sua história, especialmente porque passam muitas horas em casa protegidos do frio e da escuridão do longo inverno.

Consequentemente, valorizam os momentos que vivem em família e dedicam seu tempo a atividades prazerosas. Outro detalhe interessante: muito do que fazem dizem que é por “tradição”.

 

Como passar a viver “Hygge”

Como este é um estilo cultural dinamarquês, é bem provável que não seja possível aplicá-lo totalmente (até mesmo porque nosso país/nação é bem diferente e não temos toda a estrutura que eles tem e que proporciona uma vida mais tranquila – exemplo: menos horas de trabalho por dia, apoio do governo em diversas áreas, etc,).

No entanto, isso não nos impede de adaptar o conceito à nossa realidade, buscando a felicidade aqui e agora. Para entender um pouco mais sobre a vida deles, uma dica é ler o livro O Segredo da Dinamarca, de Helen Russel.

 

A arquitetura e a decoração estão intimamente relacionadas a este conceito, pois proporcionam espaços adequados para se viver com conforto e tranquilidade.

Os dinamarqueses acreditam que ambientes bem planejados e o uso de peças de design ajudam a fazer com que as pessoas se sintam bem e felizes.

Algo muito interessante que li no livro O Segredo da Dinamarca é que os dinamarqueses não precisam pensar sobre decoração: o bem que ela promove já é algo consolidado e todos procuram ter um lar adequado, assim como espaços públicos bem planejados. Esta é uma área na qual investem e como tudo fica bonito e organizado, todos vivem melhor.

 

 

* No próximo tópico vou descrever de maneira mais detalhada algumas dicas para chegar a este resultado, usando o estilo deles como referência.

 

Como a arquitetura e a decoração não são tudo, lembre-se de que a rotina também precisa ser alterada, o que pode ser feito aos poucos. São exemplos:

 

  • Prepare sua comida: isso pode ser feito no final de semana. Faça uma quantidade maior, divida em porções e congele. Leve marmita para o trabalho. No final de semana, faça de uma das refeições um momento especial em família (ou com você mesmo). Use temperos (da sua horta, de preferência), faça uma sobremesa, cozinhe algo saudável;

 

 

  • Vá para casa na hora do almoço: quando for possível: almoce, faça carinho no seu bichinho de estimação, tire um cochilo... ;
  • Acenda uma vela ou um incenso;

 

 

  • Tome um banho de banheira pelo menos uma vez por semana;
  • Leia um livro (mesmo que seja 1 folha por noite);
  • Faça um chá para tomar com quem gosta especialmente à noite, uma meia hora para relaxar e sentar no sofá (sem tv ou celular...);

 

 

  • Tome um banho mais longo, use um sabonete especial, passe um creme após o banho, ...;
  • Faça um bolo para o café da tarde;
  • Escolha um copo diferente para tomar seu drink predileto;
  • Marque um almoço ou jantar com amigos;

 

 

  • Brinque com seu filho;
  • Passeie com seu cachorro;

 

 

  • Aprenda um novo hobby;

 

 

  • Tenha por perto aquilo que te faz lembrar de bons momentos;
  • Ouça a chuva ou mesmo os grilos em uma noite de verão (se isso lhe trouxer boas recordações);
  • Deixe de lado regras e valorize o que faz sua alma feliz;
  • Elimine tudo aquilo que te “força” a fazer alguma coisa: precisa ser mais leve e natural. Precisa fluir;
  • Sempre que puder: trabalhe menos e se planeje para saber o que fazer nas horas vagas: cursos, jogos, esportes, hobbies diversos.

 

 

Essencialmente a dica é: explore os seus sentidos! Ouça, veja, sinta os odores, o tato e os sabores.

E lembre-se: nestes momentos, pare tudo e faça apenas o que se propõe. Nada de tv ou celulares... ouça os barulhos, observe as cores, sinta o calor ou o frio. Esteja presente no aqui e no agora.

 

O Hygge na Decoração e na Arquitetura

O estilo escandinavo (Dinamarca, Suécia, Finlândia e Noruega) é um estilo clean e minimalista.

Ele explora as grandes janelas (para deixar a luz natural entrar), as cores claras e neutras, o uso de materiais naturais como madeira e tijolos aparentes, a mistura de estilos rústico e industrial e o uso de peças de design.

 

  • Cores: use muito branco, bege e cinza;
  • Iluminação: trabalhe a iluminação, evitando a iluminação geral. Será através do uso de luminárias (de preferência com um belo design) que serão criados efeitos e espaços íntimos, funcionais. Saber trabalhar o claro e o escuro, permitirá explorar a criação de cenários;
  • Móveis: opte por um design simples e funcional. Invista em peças de design, que conferem beleza ao ambiente e marcam a decoração;
  • Piso: dê preferência à madeira clara ou mesmo ao branco;

 

 

 

  • Decoração: o sofá também pode ter uma cor neutra, optando por almofadas e mantas coloridas. Quadros apoiados, e não pendurados, podem ser usados. Use vasos para trazer o verde da natureza para dentro de casa e cortinas para trazer aconchego. E acima de tudo: evite excessos (muitos objetos decorativos);
  • Lareira: seja dentro de casa, seja no jardim.

 

 

Como Hygge é um estilo de vida e cada lugar tem o seu, podemos adaptar o estilo escandinavo: explore o que é artesanal e caseiro, valorize peças antigas e da família, use velas, flores e plantas na decoração.

O artesanato local é muito interessante se você se identificar com ele. Lembre-se de que o importante é o seu bem-estar.

 

 

Invista na sua casa como um “refúgio”. Jogue fora aquilo que não usa e deixe o espaço livre para que tudo flua de uma maneira mais tranquila e suave.

Ao simplificar o ambiente, a vida também fica mais simples (saiba mais sobre como o ambiente pode interferir na vida das pessoas: Arquitetura: qualidade de vida).

 

“Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”.

Albert Einstein

 

“Se você continuar a fazer o que sempre fez, vai continuar a conseguir o que sempre conseguiu”.

Anthony Robins.

 

Se você quer mudanças, precisará realizações ações diferentes daquelas que costuma tomar. Uma pequena mudança já o levará para um caminho diferente. Aos poucos, várias mudanças o levarão para onde desejar.

Mude o ambiente a sua volta e ele também mudará você.

 

Tendências atuais que são "hygge"

Nos últimos anos vimos crescer a cultura do “gourmet”. No entanto, se queremos nos sentir mais felizes, precisamos valorizar este “gourmet” em casa. Explico:

Um café fora de casa pode ser muito bom. Mas se for todos os dias, não terá a mesma graça, representará custos e talvez você não encontre o que de fato está procurando: aquele “carinho”.

Neste caso, seria muito melhor que você aprendesse a fazer um café gostoso, comprasse o que precisa para fazer um lanche com estilo (o que demonstra atenção e cuidado) e chamasse amigos/familiares para desgustá-lo, juntamente com uma boa conversa (desconecte-se do online e conecte-se com o que de fato te traz prazer – e se conseguir: resista à vontade de tirar uma foto e publicar nas redes sociais!).

 

 

Também cresceu o interesse por decoração. Exemplo disso é o uso de materiais como o papel de parede e o uso de adesivos de parede, personalizando os ambientes, sem carregar a decoração. Eles ajudam a criar um cenário, são práticos e versáteis.

 

Varandas também estão em alta: nela podemos usar móveis adequados, integrar a cozinha e a salas e usá-las juntamente com amigos e familiares.

Valorize as áreas de contato com a natureza: evite calçar tudo ou mesmo cobrir e fechar estas áreas. Planeje muito bem o espaço para que se torne uma área de lazer. Não tem ideia de o que fazer? Fale com um arquitetodesigner de interiores ou paisagista. Vale cada centavo o investimento.

 

*Dica: quando procurei um sobrado para comprar, queria que tivesse uma área maior nos fundos, para um jardim. Encontrei, mas depois descobri que em Curitiba, um jardim nos fundos de casa, com pouco sol, transforma-se em um banhado :/ Por isso, a solução foi criar um pátio: nele tenho uma floreira onde planto flores e ervas culinárias, tenho um paisagismo que deixa a vista da sala e da cozinha muito mais interessantes, planejei um pátio com um toque retrô (pois isso me deixa feliz) e que tem o tamanho adequado para, quando for possível (lembre-se que sol em Curitiba é um evento raro) montar uma piscina para brincarmos em família. Além disso, compramos uma mesa de jardim, em alumínio, para fazer lanches ao ar livre e usamos, inclusive uma luminária a querosene.

 

Criei, em casa, um espaço que me traz a sensação de conforto. Veja mais fotos e detalhes: Quintal multifuncional une a família

 

A tendência de cores 2018 também já traz muito desta tendência: valorizar o que traz conforto. Por isso, aproveite este artigo para planejar as cores da sua casa: Tendência de Cores 2018

 

E finalmente, para concluir, use princípios do Feng Shui: as técnicas ajudam a ter uma casa mais limpa e organizada: O que é o Feng Shui | Como aplicar o Feng Shui em sua casa

Gostou? Deixe seu comentário. Sempre que possível publicarei artigos como este, que proporcionam mais qualidade de vida e que podem ajudar a promover a felicidade.

 

* Como descobri o Hygge?

Meu filho nasceu e minhas preocupações com a busca da felicidade aumentaram.

Pesquisei alguns livros sobre educação infantil e escolhi a compra de dois: Crianças Francesas não fazem manha e Crianças Dinamarquesas. Na compra, o site indicou o livro O Segredo da Dinamarca e optei por comprá-lo.

Foi então que passei a entender e a viver um pouco a história da escritora Russel.

E foi com ela que descobri que as ideias que estava tendo já estavam organizadas pelos dinamarqueses e que já existiam estatísticas provando que elas funcionam \ ** /

Isso facilita muito a minha busca pela felicidade e ainda reforça a ideia de que arquitetura e qualidade de vida estão diretamente relacionados.

 

 

+ SAIBA MAIS | Estilos e Conceitos

 

 

Veja também