CLIQUE ARQUITETURA • www.cliquearquitetura.com.br
Artigos

O Designer de Interiores

Conheça as áreas de atuação do Designer de Interiores, as etapas do seu trabalho e dicas de contratação.

Por Arquiteta Nadine Voitille Seguir

0 Gostar

Categoria: Arquitetura & Urbanismo: Ao Construir e Reformar

+ Salvar em álbum de ideias

O Designer de Interiores

O profissional Designer de Interiores pode ser qualificado em um Curso Técnico ou Faculdade de Design de Interiores.
É capaz de projetar ambientes com soluções técnicas e criativas, utilizando e combinando materiais, cores, texturas e organizando móveis e acessórios. Seu objetivo é criar ambientes aconchegantes e de fácil utilização, permitindo uma melhor qualidade de vida
 

Áreas de Atuação

Quais as áreas de atuação do Designer de Interiores?

  • Elaborar projetos de interiores residenciais ou comerciais – lojas, shoppings, supermercados, consultórios, clínicas, hospitais, escritórios, teatros, museus, hotéis, auditórios, clubes, bares, night clubs, etc; (Saiba Mais sobre O Projeto)
  • Elaborar projetos de paisagismo interno;
  • Acompanhar a execução do projeto;
  • Projetar, detalhadamente, móveis, gesso/sancas e objetos decorativos.
     

Etapas do seu Trabalho

Conheça as etapas de trabalho do Designer de Interiores e sua relação com o cliente:

1. Conhecendo o cliente

No primeiro contato são coletadas várias informações sobre o cliente, quanto as suas necessidades funcionais, psicológicas, seu gosto e estilo;

Residencial: a preocupação maior está em solucionar aspectos psicológicos e funcionais.

  • analisar o contexto social, a localização e estrutura da construção (casa ou edifício);
  • entender as necessidades funcionais – o que o cliente quer/precisa?, o que ele sonha?;
  • entender as necessidades psicológicas – quem utiliza o ambiente? como o utiliza?;
  • conhecer o perfil / personalidade do cliente e de todas as pessoas que moram no local – se é calmo ou agitado, como é a rotina? entre outras perguntas.
     

Comercial: as exigências são maiores na parte financeira e nos aspectos que dizem respeito ao cumprimento de normas, como segurança, higiene, etc – conforme as exigências dos diversos segmentos profissionais (saúde, alimentação, entretenimento, etc.)

  • analisar o contexto social, a localização e estrutura da construção (casa ou edifício);
  • conhecer o perfil geral das pessoas frequentadoras;
  • entender qual a sensação psicológica a ser trasmitida para os clientes/frequentadores.
     

2. Estudo Preliminar

Estudos através de plantas, elevações e perspectivas que buscam atender às expectativas e ao orçamento do cliente – apresentação de um orçamento geral. Sempre garantindo a criação de um projeto funcional, provido de valores estéticos, de conforto e segurança
Estes estudos são desenvolvidos nas versões 1, 2, 3, ... até chegarem ao resultado almejado.
 

3. Confirmação e aceitação por parte do cliente dos estudos preliminares;

4. Criação do Anteprojeto

Esta é a versão final do estudo, apresentando de maneira clara a proposta do projeto: 1. Planta layout global com especificações da seleção de materiais, revestimentos, acabamentos; 2. elaboração de cortes e elevações; 3. Planta de gesso e detalhes; 4. Planta de iluminação; 5. Piso; 6. Paginação paredes – elementos construtivos não estruturais e elementos construtivos estruturais (contratação e responsabilidade de um Arquiteto ou Engenheiro Civil); 7. Paginação elétrica (em caso de mudanças); 8. Paginação hidráulica (em caso de mudanças); 9. Paginação de ar condicionado; 10. Paginação lógica – telefone; 11. Planta de tonalidades e revestimentos; 12. Planta de mobiliário; 13. Planta de paisagismo interno; 14. Planta marmoraria e vidraçaria.

5. Criação do Projeto Executivo

Apresenta o detalhamento necessário para que se possa executar o projeto (piso, forro, acabamento, mobiliário...) assim como memorial descritivo indicando especificações, tabelas quantitativas e planilha de orçamento.

 

Acompanhamento da execução do projeto

Esta etapa é separada da elaboração do Projeto de Interiores. Ficando a critério do cliente contratar o Designer autor do projeto ou contratar outro profissional qualificado para acompanhar a execução do projeto.

  • Auxiliar/acompanhar o cliente nas compras de todos os produtos, sistemas e equipamentos já aprovados por ele (cliente);
  • Contatar e coordenar todos os profissionais que irão executar alguma das etapas do projeto;
  • Acompanhamento de cada etapa do projeto, informando ao cliente sobre os gastos a mais no orçamento;
  • Entrega de obra.

Cada uma das etapas – Elaborando um projeto e Acompanhamento da execução – é cobrada separadamente.

* Saiba mais sobre Valores Cobrados por Arquitetos e Designers de Interiores: Custo / Benefício

 

Dicas de Contratação

Confira algumas dicas de como contratar um Designer de Interiores:

  • Procure sempre um profissional qualificado para a realização da sua obra, isto é, para a realização do seu sonho. Um Designer qualificado possui conhecimento e capacidade de entender as suas necessidades e anseios. É capaz de traduzir os sentimentos, emoções e lembranças de seus clientes em algo palpável e visual, como é capaz de proporcionar maior funcionalidade e aproveitamento dos espaços de modo a tornar o dia-a-dia mais agradável;
  • Conheça os trabalhos produzidos pelo Designer que pretende contratar, pesquise sites, converse com amigos. Conheça também o profissional pessoalmente, para que você fique seguro de que ele irá atender às suas necessidades. Vale a pena marcar uma conversa sem compromisso com o Designer, e contrate somente o profissional que lhe transmitir confiança!;
  • O designer de interiores é capaz de projetar ambientes conforme o estilo e gosto do seu cliente, mas nem por isso podemos deixar de pensar que cada profissional tem seu estilo próprio e que naturalmente e sutilmente tal estilo pode estar presente nos projetos para os seus clientes;
  • Quando o Desginer de Interiores propõem a mudança de uma parede, ou até mesmo quando tal mudança é solicitada pelo cliente, se faz necessária a contratação de um Arquiteto ou Engenheiro Civil para avaliar, autorizar, acompanhar e se responsabilizar por esta etapa da obra. O Designer de Interiores não poderá, de maneira alguma, executar e assumir a responsabilidade de mudanças na estrutura do imóvel (apenas é possível se a formação curricular incluir cálculos estruturais e matérias correlatas);
  • Para sua segurança e a do profissional solicite sempre um contrato. É no contrato que os direitos e deveres de ambas as partes estarão esclarecidas – como quem é o responsável pelo escolha dos materiais e da mão de obra – da mesma forma deverá estar exposto o valor do serviço ou os valores dos serviços solicitados, a forma que o pagamento será realizado, os prazos para a finalização de cada etapa do projeto e como se dará a rescisão do contrato quando necessário.

 

Links Interessantes

Quer saber mais? Visite estes sites:

  • Associação Brasileira de Designers de Interiores: www.abd.org.br
  • Como Contratar um Designer de Interiores: www.construcaoecia.com.br/conteudo.asp?ed=41&cont=363

 

Saiba Mais

Você também poderá buscar mais informações em livros sobre o assunto:

  • Clique Indica: Livros sobre Decoração - confira nosso guia que apresenta diversos títulos de publicações sobre decoração.
 
  • Livro: Como Arquitetos e Designers Pensam - Como Arquitetos e Designers Pensam traz investigações em metodologia de projeto e enriquece as discussões sobre o papel dos designers e projetistas em áreas nas quais a forma se traduz em conceitos e ideias. Analisa estilos de pensamento, os problemas em projetos e apresenta táticas inovadoras que auxiliam no processo de criação. A obra também incorpora e resume algumas lições que só recentemente foram disponibilizadas sobre como realmente trabalham os grandes mestres;
  • Livro: O Design do Designer - O design aparece na vida de todo mundo como sinônimo de estilo, bom gosto, e até mesmo de coisas caras. Mas será que isso é mesmo verdade? O que, afinal de contas é esse tal de design? Para fazer design tem que ter diploma? Um publicitário pode desenhar uma marca? O que o marketing tem a ver com isso tudo?;
  • Livro: Design: Gestão, Métodos, Projetos, Processos - Na presente obra, que representa o trabalho conjunto de onze professores/pesquisadores, estão organizados temas sobre Ergonomia e Usabilidade, Meio Ambiente, Métodos e Processos, Gestão, Ensino e Pesquisa, Tecnologia e Relações Jurídicas trabalhistas. Por isto, nos sentimos à vontade ao classificá-lo como multidisciplinar e de interesse geral para todos aqueles que procuram no saber um refúgio para saciar a sua sede de aprendizagem contínua;

 

     

Onde Comprar? Como Arquitetos e Designers Pensam | O Design do Designer | Design: Gestão, Métodos, Projetos, Processos - Buscapé

 

Veja Também

 

 

< Voltar   Arquitetura & Urbanismo :: Ao Construir e Reformar

 

 

 

Veja também

Artigos mais lidos

Artigos mais comentados